quarta-feira, 13 de julho de 2011

Patentes Manchadas

Suavemente dilacerados,
Eletrificados ao vosso desígnio.
Sobre os ombros, escombros,
Sob a moral, o indigno.

Mortalhas retorcem moinhos,
Calando nossa ronquidão,
Malhas sufocam os espinhos,
Mantas da inexpressão.

Nas Patentes Manchadas
Coloquemos alvejante.
Hemorragias estancadas
No Inanimado Militante.

A carne, o sangue e a mamata,
O alvará e a demência implantada,
Simulada a existência pacata,
Empurrão pra masmorra maquiada.

A sangueira estancada,
A cegueira velada,
A estribeira perdida,
Decaída e vedada.

Destroços e princípios,
Para os is os seus pingos,
No escárnio rendido,
A sangria, o respingo.

Na psicose do gringo,
Fragilizando e ferrando,
Contra a pólvora, o xingo.

Sócios em consórcios,
Em que estragos são negócios,
Militarismo e Sacerdócio,
Exercício do ócio, ócios do ofício.

Após as trincheiras,
Recém afrouxadas,
O militante padece,
Em Patentes Manchadas.

(Compositor: Michel F.M.) ©

11 comentários:

  1. gostei.

    abraços

    um belo final de semana pra ti

    ResponderExcluir
  2. Oi, dá uma olhada no blog do meu livro: http://oreinodemilian.blogspot.com/
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Ao modus do Sr. Zé do caixão "... o sangue é o objetivo da humanidade". abraços

    ResponderExcluir
  4. Isso ecou na minha mente: "O alvará e a demência implantada"

    ResponderExcluir
  5. Olá passando rapidinho,
    Tem um presentinho para você no meu cantinho.
    Bjos se cuida e tenha um lindo dia.

    ResponderExcluir
  6. Olá, parabéns pelo blog!
    Seguindo para ficar por dentro de suas atualizações :D
    Uma ótima semana,
    e abraços!

    ResponderExcluir
  7. Muito bonito o poema! O blogue está muito bom!
    Felicidades

    ResponderExcluir
  8. Parabens pelo blog muito boa a poesia abraço!
    Amandio Sales

    ResponderExcluir
  9. Gostei dos versos!
    Fortes, extensos, com contornos!

    Seguindo-o!
    Espero no clube para me responder um pergunta - você acredita em não fazer parte da construção da exclusão social?
    Adriana
    http://clubnovosautores.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. "A carne, o sangue e a mamata,
    O alvará e a demência implantada,
    Simulada a existência pacata,
    Empurrão pra masmorra maquiada."

    Esplêndido!!! Poucos autores me prendem a atenção como fizeste. Estou encantado com suas palavras rapaz.
    Deixo meu endereço para que visite em alguma hora de tédio (risos).

    http://uiltondavid.blogspot.com/

    Obrigado.
    Uilton David

    ResponderExcluir