sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Força Bruta

Flagelado na concepção,
Criado em meio à violência,
Instituíram a transgressão,
Formas de governo em decadência.

Costuraram sua deformação,
Nutriram sua imprudência,
Sem alusão, sem referência.

Força Bruta !
Abruptamente me conduz.
Sigo a conduta,
Clones sangrentos é o que se produz.

Traduz a luta,
Combate a parte,
Declarada a guerra civil;
Centenas de bonecos marchando,
Algo que nunca se viu.

Ordens são covardes
E não se discute,
Os seguidores são zumbis
Ascendendo o pavio.

Robôs são neutros.
Humanóides a poucos metros do Gran Finale.
Dos males o maior, e o que é pior ? É que é pior !

Força Bruta !
Abruptamente me conduz.
Sigo a conduta,
Clones sangrentos é o que se produz.

(Compositor: Michel F.M.) ©

domingo, 23 de outubro de 2011

Manipuladores (mentores da mentira)

Desde quando nós,
Desatamos nós,
Superamos sós,
Silenciando a voz.

Sendo jurados e réus,
Atuamos deliberadamente,
Aturamos displicentemente,
Alteramos indiscriminadamente
O ambiente em que habitamos.

Nós desatamos nós,
Nós atuamos sós,
Sós aturamos nós,
Nós alteramos vós.

Manipuladores, mentores da mentira.

Manipulando com deboche,
Ventríloquos, fantoches,
Marionetes, bonecos.
Comentários ilógicos,
Num papel higiênico,

Domínio da arte cênica, do ar cínico.
Arsênico ao anêmico mímico.

Arquétipos irônicos,
Ventríloquos, fantoches,
Marionetes, Bonecos,
Manipulados pelos mentores.

Manipuladores, mentores da mentira.

(Compositor: Michel F.M.) ©